Atualizado às 15h58

Os estabelecimentos de hospedagem de Caldas Novas não deverão aceitar novos hóspedes ou locações a partir do próximo domingo (22). A determinação foi publicada nesta quinta-feira (19) na portaria nº99 da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) da cidade. A medida foi adotada como forma de reduzir a circulação de pessoas no município, em razão da pandemia do novo coronavírus, e valerá por 15 dias a partir da data mencionada, podendo ser prorrogada.

De acordo com o documento, a determinação é válida para hotéis, pousadas, pensões, apartamentos de aluguel de temporada em condomínios, motéis e similares. Empreendimentos de multipropriedade, como condomínios, podem ser utilizados pelo proprietário, mas com recomendação para que isso seja evitado na medida do possível. A locação, contudo, segue proibida.

Nesta quarta-feira (18), houve o registro do primeiro caso suspeito de infecção pelo novo coronavírus (Covid-19) em Caldas Novas. Trata-se de uma mulher que atua na área da saúde e também presta serviços em Brasília (DF), segundo a SMS do município. A paciente se enquadra no grupo de risco, está em isolamento e tem estado de saúde estável. Ela e seus contatos são monitorados pela pasta. O material para exame de Covid-19 já foi coletado e enviado para o Laboratório Central do Estado de Goiás (Lacen-GO). O resultado deve sair entre três e cinco dias.

Construção civil

A portaria também recomenda que empresas de construção civil evitem aglomeração de empregados. Caso seja necessário, elas deverão fazer revezamento de trabalho, conceder férias coletivas, folgas ou qualquer tipo de suspensão por 15 dias, prazo que também pode ser prorrogado.

Além disso, todos os segmentos deverão avaliar a regra geral determinada pelo Estado a fim de evitar aglomerações.

Clubes

Nesta quarta-feira (18), duas outras portarias da SMS de Caldas Novas trataram do funcionamento de clubes e de bares e restaurantes no município. Os documentos indicam a suspensão por 15 dias das atividades desses estabelecimentos.

Entre os empreendimentos da área da alimentação, estão proibidos de funcionar bares, restaurantes, lanchonetes, pit-dogs, sorveterias, pizzarias, pamonharias, espetinhos e similares no município. O prazo poderá ser prorrogado. Não se incluem na suspensão estabelecimentos como padarias, frutarias, açougues, hortifrúti, supermercados, lojas de conveniência e distribuidoras de bebidas, desde que não tenham mesas para alimentação.

A portaria prevê que o atendimento mediante serviço de entrega (delivery) está permitido. Bares e restaurantes que ficam no interior de estabelecimentos de hospedagem, para atendimento exclusivo de hóspedes, poderão funcionar, mas deverão observar a distância de dois metros entre as mesas.