A nova rodada de parcelas do auxílio emergencial começará a ser paga na 3ª feira (6.abr.2021). O anúncio foi feito pelo presidente Jair Bolsonaro em declaração a jornalistas no Palácio do Planalto. Uma portaria publicada nesta 4ª feira (31.mar) detalha o calendário de pagamentos e saques do benefício. Leia as datas de repasse da 1ª parcela abaixo.

Além do presidente da República, fizeram declarações o ministro da Cidadania, João Roma; o presidente da Caixa, Pedro Guimarães; e o presidente da Dataprev, Gustavo Canuto.

“O auxílio emergencial é um alento. ‘É pouco, inclusive, reconheço”, disse o presidente.

Na declaração, Bolsonaro voltou a criticar medidas adotadas por governadores e prefeitos para restringir  a circulação de pessoas e tentar conter o alastramento do coronavírus. Para ele, o único caminho para a retomada da economia é “deixar o povo trabalhar”.

“Como sempre disse, tínhamos e temos 2 inimigos: o vírus e o desemprego. É uma realidade. Não é ficando em casa que vamos solucionar esse problema”, disse.

E acrescentou: “O governo sabe que não pode continuar por muito tempo com esses auxílios que custam para toda a população e podem desequilibrar a economia. O apelo que a gente faz é que política de lockdown seja revista, cabe a governadores e prefeitos”.

Bolsonaro disse que o Brasil deve enfrentar a pandemia com “galhardia” e sem medidas restritivas como as adotadas por governantes locais.

“Eu corro riscos. Fui eleito para correr riscos. Jamais qualquer um de nós, chefes de Executivo, poderia pensar que aconteceria uma pandemia. Vamos com coragem, galhardia, cuidado, com medidas protetivas, buscar solução.”

As declarações foram feitas no dia seguinte ao Ministério da Saúde confirmar 3.780 mortes por covid-19 em 24 horas. É o máximo já registrado em 1 só dia desde o início da pandemia.

A 1ª vez que o número ficou acima de 3.000 foi em 23 de março, quando as autoridades notificaram mais 3.251 mortes. Na 6ª feira, foram 3.650 vítimas.

Bolsonaro assinou em 18 de março a medida provisória que institui a nova rodada de pagamentos do auxílio emergencial e, em 26 de março, um decreto para liberar o pagamento. Serão 4 parcelas mensais de R$ 250, em média, a serem pagas a partir de abril.

Pelo novo desenho, o governo vai pagar 4 parcelas –de R$ 150 a R$ 375– a 45,6 milhões de pessoas. A maior parte deve receber a menor cota. Eis uma prévia da divisão:

R$ 150 – quem mora sozinho;
R$ 250 – famílias com mais de um integrante;
R$ 375 – mulheres que são as únicas provedoras de suas famílias.