Esta quarta-feira (11) é o Dia do Cerrado, bioma que tem 5% da biodiversidade do planeta. Contudo, nos primeiros dias de setembro, mais focos de queimada foram registrados na região do que na Amazônia, justamente o inverso do que vinha ocorrendo em agosto e ao longo do ano.

Os dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) mostram que, até a última terça-feira (10), 8.012 focos de incêndios florestais foram detectados no cerrado, principalmente nos Estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, e 7.457 na região Amazônica.

Como quase não há chuva nessa época do ano e, consequentemente, a ação de raios que podem provocar queimadas, especialistas acreditam que as ocorrências estão relacionadas à causa humana e o calor intenso no Cerrado pode estar ajudando a disseminar os focos.

Em Goiás, umas das últimas ocorrências que tem preocupado o Corpo de Bombeiros é o incêndio que tem devastado o Parque Estadual da Serra Dourada (PESD), situado entre os municípios de Goiás, Buriti de Goiás e Mossâmedes, no Noroeste do Estado. A queimada teve início na teve início na manhã de ontem e já dura 24 horas. Segundo os bombeiros, reforços foram enviados ao local nesta manhã para reforçar o combate às chamas. 

Na manhã de terça-feira, logo após o início do incêndio, uma força-tarefa composta por 12 homens do Corpo de Bombeiros iniciou o trabalho de combate ao incêndio. O efetivo, segundo a corporação, não foi suficiente e, nesta quarta, reforços foram enviados ao local.

Diversidade

O cerrado, além de ser o segundo maior bioma da América do Sul, ainda é riquíssimo em biodiversidade. Nele, já foram identificadas quase 12 mil espécies de plantas, além de outros milhares de tipos diferentes de peixes, anfíbios, répteis, aves, borboletas e outros animais.

Espécies ameaçadas como a onça- pintada, o tatu-canastra, o lobo-guará, a águia-cinzenta e o cachorro-do-mato-vinagre, entre muitas outras, ainda têm populações significativas no cerrado, que tem cerca de 2 milhões de km² e se estende em área contínua por 11 estados brasileiros: Bahia, Distrito Federal, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Piauí, São Paulo e Tocantins.