Dinheiro acabando, hospedagem improvisada e informações desencontradas por parte de embaixadas e Ministério das Relações Exteriores. Esta é a realidade compartilhada por dois goianos que estavam em viagem ao Deserto do Saara e que agora não conseguem retornar do Marrocos ao Brasil. Os personal trainers Fernando Cezar Sabino, de 31 anos, e Thaís de Cássia Dias, de 32 anos, que moram em Goiânia, sairiam do país africano pelo Aeroporto Casablanca que foi fechado após determinação do governo em meio à pandemia do novo coronavírus.

Fernando explica que há dois dias, a Embaixada do Brasil em Rabat, cidade que é a capital do Marrocos, teria falado sobre a possibilidade de sair um voo para o Brasil de Casablanca. Ele diz, entretanto, que a decisão teria sido modificada e que pode ser que os aviões saiam de Marrakesh. Utilizando transportes como transfer, ônibus ou carro, a cidade ficaria a aproximadamente 2h30 de viagem de onde estão. O problema, segundo Fernando, é que a embaixada não deu uma informação final. 

“Eu deveria ter ido embora no último dia 17 e minhas reservas estão acabando. Estamos dormindo com outros sete brasileiros em um hotel e juntando as moedas pra comer. Aqui funciona tudo à base de dólar e euro e não temos condições de passar nem mais um dia aqui. Ouvimos dizer que amanhã (20), o espaço aéreo pode ser fechado até para repatriamento e só reabrir depois de 30 dias. Precisamos voltar hoje. Se não acontecer hoje, estamos perdidos. Não temos dinheiro para passar mais um mês aqui”, completa o personal. 

Fernando e Thaís estavam em um passeio no deserto do Saara e afirmam que quando voltaram a ter contato com internet, foram pegos de surpresa com os cancelamentos dos voos e o fechamento do espaço aéreo marroquino. Inicialmente, eles entraram em contato com a Embaixada do Brasil em Rabat e receberam a orientação de aguardar o agendamento de um novo voo. O seguro viagem também foi contatado, mas informou que não cobrem esse tipo de situação. A companhia aérea com a qual retornariam para o Brasil também não teria apresentado alternativas e informou apenas que não haverá voos para o Brasil até 28 de abril.

Governo Brasileiro

A última nota divulgada pelo Ministério das Relações Exteriores aos viajantes brasileiros no Marrocos foi no dia 16 de março. No comunicado, o Itamaraty afirma que o Marrocos decidiu suspender, até segunda ordem, todos os voos internacionais de passageiros tendo o país como origem ou destino, entre as medidas preventivas contra a propagação do coronavírus. 

“A Embaixada do Brasil em Rabat sugere aos viajantes brasileiros que tentem antecipar sua partida do Marrocos com a maior brevidade, já que a partir da segunda-feira, 16/03, a maioria dos voos deverá estar suspensa”. A publicação do documento, entretanto, ocorreu no mesmo dia em que os voos foram suspensos. 
O documento orientou ainda que os brasileiros de passagem pelo Marrocos deveriam enviar uma lista de dados para consular.rabat@itamaraty.gov.br. “Fizemos isso há três dias e não recebemos nenhuma resposta”, finalizou Fernando.

Procurado nesta quinta-feira (19), por meio da assessoria de imprensa, o Ministério não informou sobre quais medidas devem ser tomadas nos próximos dias para dar suporte não só aos goianos, mas a todos os brasileiros que estão no Marrocos.