É grave o estado de saúde da professora Gleide Batista dos Santos atingida por três tiros no rosto na tarde desta quinta-feira (13) Nova Crixás, na região norte de Goiás. A mulher está internada no Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol) e, após uma cirurgia, foi transferida para a unidade de terapia intensiva, onde segue sedada.

O principal suspeito de atirar contra Gleide é o ex-companheiro dela, um caminhoneiro, de 45 anos, que está foragido. Segundo a Polícia Civil, motivado por ciúmes, antes de tentar matar a mulher, o caminhoneiro assassinou a tiros um homem que teria curtido uma foto dela nas redes sociais.

O ex-casal estava separado há dois anos, mas mesmo com uma medida protetiva para a vítima, as ameaças eram constantes. A mãe da mulher disse em depoimento que estava dormindo com frequência na casa da filha por causa das ameaças que ela estava sofrendo.