Os assassinatos a tiros dos advogados Marcus Aprígio Chaves, de 41 anos, e Frank Alessandro Carvalhaes de Assis, de 47, foram encomendados por R$ 100 mil, caso os executores ficassem impunes, e R$ 500 mil caso fossem presos. É o que aponta investigação da Delegacia Estadual de Homicídios (DIH) da Polícia Civil de Goiás.    Um fazendeiro suspeito d...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários