Atualizada às 22h30.

No mesmo dia em que foi aberto, o Hospital de Campanha para o Enfrentamento ao Coronavírus de Goiás (HCamp), em Goiânia, recebeu o primeiro paciente. Trata-se de um homem de 72 anos, morador de Luziânia e marido da mulher de 66 anos que morreu na madrugada desta quinta-feira com diagnóstico confirmado de Covid-19, sendo o primeiro óbito no Estado.

O idoso deu entrada no HCamp por volta das 22 horas. Ele foi transferido da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jardim Ingá, onde estava internado, em estado grave e com suspeita de infecção pelo novo coronavírus. De acordo com o secretário de Saúde de Luziânia, José Walter Marques, ele deixou a UPA logo após as 18h, em uma UTI móvel, com destino a Goiânia. O homem havia feito o teste para detectar o coronavírus, mas o resultado ainda não havia sido divulgado. 

Nesta manhã, logo após a confirmação da primeira morte em Goiás, o governador Ronaldo Caiado declarou que a unidade estava oficialmente aberta. “Muita luta e nós conseguimos colocar esse hospital hoje funcionando, o pessoal está de plantão”, disse o governador.

Após rápida apresentação do local à imprensa, a equipe da organização social Agir deu segmento ao Plano de Resposta Hospitalar Covid-19, desenvolvido ao longo dos últimos 12 dias para atender com segurança as pessoas infectadas pelo vírus. 

Visitas a distância
A partir de agora, apenas os pacientes e funcionários podem entrar na unidade. As visitas serão a distância, por meio de videochamadas em monitores instalados nas estruturas modulares montadas no estacionamento do hospital. “Familiares que por ventura tenham necessidade de ter notícia do paciente, a visita familiar será a distancia, por imagem”, explicou o secretário estadual de Saúde, Ismael Alexandrino.

Durante a abertura, Alexandrino destacou como diferencial da nova unidade o fluxo “unidirecional” dentro do hospital. “Uma vez que o paciente entra no pronto-socorro, ele só caminha para frente. Não precisa ficar indo de um lado para o outro.”

Segundo o secretário, a estrutura modular também servirá de apoio para a telemedicina. “O profissional que está dentro da unidade não terá que caminhar para outro local. Ele pode obter informações naquela estrutura, assim como um profissional de outro hospital que não terá necessidade de entrar no local.”

Tanto o governador quanto o secretário destacaram em seus discursos que o HCamp conta com equipamentos modernos. O hospital atenderá pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS).