Danilo de Souza Silva, de 7 anos, que foi encontrado nesta segunda-feira (27) foi assassinado por asfixia em uma poça de lama, no setor Parque Santa Rita, em Goiânia. A afirmação é do médico legista Mário Eduardo Cruz, gerente do Instituto Médico Legal (IML) de Goiânia. Em entrevista à TV Anhanguera, ele afirmou que os exames mostraram que Danilo teve a cabeça empurrada contra uma poça de lama e que pela posição do corpo é pouco provável que tenha se afogado sozinho. Também há sinais de violência sexual, mas ainda não é possível afirmar devido ao estado de decomposição que o corpo foi encontrado. 

O menino Danilo desapareceu há uma semana, no dia 21 de julho, quando saiu para ir à casa da avó, mas nunca chegou. Nesta segunda, o corpo, em estado de decomposição, foi localizado por cães farejadores do Corpo de Bombeiros a 100 metros da residência da criança. O gerente do IML explicou que encontraram lama na traqueia e na boca, mas não água. Por esse motivo, acreditam que ele foi empurrado de maneira forçada contra a lama. 

“Encontramos sinais de violência sexual, mas ainda não é possível comprovar. Isso porque todo corpo em estado avançado de decomposição apresenta muitas lesões. Nosso trabalho é identificar quais foram em vida e quais lesões são pós-morte. Ele tinha ferimentos no pescoço e estava sem uma orelha, que pode ter sido comida por um animal”, pontuou Mário Cruz, em entrevista ao JA1. 

Haverá análise para identificar possível DNA do agressor e analisar se houve ou não crime sexual. Pelos exames, Danilo pode ter sido morto há 7 dias, ou seja, ainda no dia em que desapareceu. Um ponto que instigou a equipe da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) é que o local onde o corpo foi localizado já havia sido verificado. A polícia apura, portanto, quando o menino teria sido deixado lá.

A confirmação sobre a identidade de Danilo foi dada no fim da manhã desta terça-feira (28), por meio do Instituto de Identificação da Polícia Civil de Goiás. O reconhecimento foi feito por meio de impressões digitais, já que a criança possuía RG. Ainda não há informações sobre a autoria do crime e mais detalhes do caso serão repassados nesta tarde durante entrevista coletiva.

O garoto foi achado por volta das 14 horas desta segunda-feira (27). Depois de informada a DPCA, foi realizada a perícia e o corpo foi retirado do local por volta das 18 horas.