Diferentes entendimentos sobre a participação do Conselho Municipal de Política Urbana (Compur) na elaboração do Plano Diretor de Goiânia se tornaram um impasse para o prosseguimento da tramitação do projeto na Câmara Municipal. Para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa, a proposta é ilegal por não ter um relatório com uma votação dos 30 membros do Cons...

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários