Prefeitura de Goiânia eleva em 17% total de comissionados

Em um ano, a Prefeitura de Goiânia aumentou em 16,8% a quantidade de servidores comissionados. De acordo com o Portal da Transparência, em julho de 2020, na folha de pagamento constavam 1.147 servidores com esse tipo de vínculo. Um ano depois, são 1.340, ou seja, 193 a mais. A despesa com esse grupo específico, portanto, subiu de R$ 5.770.164, 29 para R$ 6.220.395,62 – uma diferença de 8% na despesa com a remuneração de comissionados. O aumento total da folha foi de mais de R$ 4 milhões.

Além de aposentados e pensionistas, na discriminação dos vínculos listados na folha de pagamento da Prefeitura, a categoria de comissionados foi a única em que houve aumento de pessoal. Houve redução, por exemplo, na quantidade de celetistas, estagiários, estatutários e outros.

Elisa, a bebê coração valente, vai para casa

Mais de cinco meses após o nascimento, finalmente a bebê Elisa, que veio ao mundo com meio coração, vai para casa. A menina ficou conhecida ainda na barriga da mãe, Gabriella Castro, por uma luta judicial contra o Instituto de Assistência Médica de Senador Canedo (Iamesc). O objetivo era conseguir para mãe e filha, parto e tratamento adequados no Hospital da Beneficência Portuguesa, em São Paulo, considerado referência no País para cardiopatias. Agora, depois de duas das três cirurgias mais importantes, ela recebeu alta médica e a próxima intervenção cirúrgica deve ocorrer após o segundo ano de vida. Nesta terça-feira (20), desembarcou no Aeroporto Santa Genoveva, em Goiânia.

Pouco antes de embarcar, em São Paulo, Gabriella conversou com O POPULAR. Um choro entalado se misturava ao som dos chamados de embarque e à felicidade que parecia transbordar pela fala da mãe. “A sensação é de alívio, felicidade, gratidão. Foi o dia em que mais sonhei. Antes mesmo dela nascer, meu sonho era levá-la para casa bem. Nem todos os dias são fáceis em ambiente hospitalar. Em alguns dias está tudo certo e em outros muda tudo. Viver em uma UTI é uma montanha russa”, completa.

Ocupação de leitos públicos para Covid-19 cresce em Goiás

Desde a última terça-feira (16), a taxa de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) estaduais e da rede municipal de Goiânia destinados para o tratamento da Covid-19 tem aumentado. A Secretaria de Estado de Saúde de Goiás (SES-GO) afirma que o crescimento tem de ser visto com atenção devido ao alto platô da doença no Estado. Secretaria Municipal de Saúde (SMS) avalia aumento como movimento atípico.

Desde a última sexta-feira (16), a taxa de ocupação dos leitos de UTI da capital tem ficado acima dos 75%, situação que não acontecia desde junho. Ao longo de todo o mês de julho, até a última sexta, ela ficou entre 65% e 75%. Entretanto, desde então começou a subir, sendo que nesta terça-feira (20) atingiu os 79,19%.