Atualizada às 13h36.

Morreu no início da manhã desta terça-feira (19), em Goiânia, o médico José Ronaldo Menezes, de 61 anos, que atendia na rede pública de saúde de Goianésia, município a cerca de 180 km da capital. Desde o início do mês ele estava internado na Unidade de Tratamento Intensivo ((UTI) de um hospital privado depois de ser contaminado pelo novo coronavírus enquanto trabalhava. Na ocasião, familiares soltaram um comunicado informando o fato.

“Infelizmente meu pai foi contaminado pela Covid-19 por fazer parte da área da saúde e estar atuando na linha de frente atendendo a população”, disse em nota um dos filhos. Na nota, o filho de José Ronaldo informou que naquele momento o pai já estava com os dois pulmões muito afetados e seu estado era considerado grave. José Ronaldo de Menezes atuava em Goianésia e Goiânia. Ele era muito conhecido em Niquelândia onde chegou a ser candidato em várias ocasiões, entre elas a prefeito do município.

“A gravidade desse problema é maior do que todos nós imaginávamos, e só me caiu a ficha de tão grave quanto é esse vírus (sic) quando vi meu pai precisando de aparelho para respirar, necessitando de ir para um leito de UTI”, afirmou o filho do médico no comunicado. 

José Ronaldo morava em Goiânia, onde clinicava, mas de segunda a quarta-feira fazia plantão na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e no Hospital Municipal de Goianésia. Diretor da UPA, Carlos Eduardo, conhecido como Kaká Filho, lamentou a morte do médico. “Grande colega, grande ser humano”, disse ele ao POPULAR. O médico, que era urologista, também atendia no Centro Especializado de Saúde de Abadia de Goiás, na região metropolitana da capital há mais de 15 anos.

Nesta segunda-feira (18), Goianésia contava com duas pessoas infectadas com o novo coronavírus, sob cuidados em domicílio, e outras 17 sob suspeita. Três pessoas morreram no município em consequência da Covid-19. Dos 33 casos confirmados até agora, 28 se recuperaram.

Em nota, a Secretaria de Saúde de Goianésia confirmou a morte de José Ronaldo Menezes pela Covid-19. “O Dr. José Ronaldo desempenhou um excelente trabalho na rede pública de saúde de Goianésia, servindo como muita dedicação e comprometimento no Hospital Municipal Irmã Fanny Duran e na UPA Walter Augusto Fernandes. Neste momento, prestamos nossas condolências a seus amigos e familiares”, completa o comunicado assinado pelo secretário Hisham Mohamad Hamida.

Presidente do Sindicato dos Médicos do Estado de Goiás (Simego), Franscine Leão manifestou tristeza com a morte de José Ronaldo. Segundo ela, é o primeiro médico a morrer em Goiás acometido da Covid-19. Já o Conselho Regional de Medicina de Goiás (Cremego) não confirma a informação. Em nota, o Cremego informou que “se solidariza com a família, os amigos e os médicos goianos neste momento de dor”.