A mãe de uma menina de 3 anos, moradora de Caldas Novas, na Região Sudoeste do Estado, entrou na Justiça para solicitar um teste de Covid-19. A criança estava internada o Hospital Municipal da cidade com pneumonia e infecção urinária, mas não teve recomendação médica para a Covid-19 e recebeu alta. Depois disso, a mãe tentou judicialmente e, conforme informações da prefeitura da cidade, a coleta foi recomendada pelo Tribunal de Justiça do Estado de Goiás.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Caldas Novas, uma tomografia contatou que a menina possui asma e bronquite crônica. Dessa forma, se enquadraria no grupo de risco para a Covid-19. O teste foi realizado na última terça-feira (24) e o resultado ainda não foi divulgado pelo Laboratório de Saúde Pública Dr. Giovanni Cysneiros (Lacen Goiás).

Mulher em estado gravíssimo

Caldas Novas ainda não tem casos confirmados da doença e além da criança de 3 anos, outras duas pessoas foram testadas: um homem de 29 anos e uma mulher de 53. A mulher deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento [UPA] através do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) com desconforto respiratório, tosse e falta de ar. Segundo o Samu, ela precisou ser entubada. O estado é gravíssimo.

A mulher passou por exames, tomografia e foi encaminhada para uma Unidade de Terapia Intensiva [UTI] no Hospital Nossa Senhora Aparecida, conveniado pela Prefeitura. O município solicitou a transferência dela para o Hospital de Doenças Tropicais Anuar Auad (HDT), em Goiânia, mas até às 15h desta sexta-feira (27) ainda não havia sido deslocada.

Em nota, a prefeitura de Caldas afirmou que “seja qual forem os resultados, haverá a imediata informação à população, em todos os canais oficiais de comunicação do município”. O documento pede ainda que a população redobre os cuidados de higiene. “Sobretudo, fiquem em suas casas, evitando o máximo possível deixar suas residências ou manter contato físico com outras pessoas. O momento é de alerta”, finaliza a nota.