A 1ª Câmara Criminal não acatou recurso do Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) e manteve o trancamento das investigações realizadas pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do órgão envolvendo suspeitas de desvios de recursos financeiros da Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe) pelo então presidente da instituição, padre Robson d...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários