Morreu na noite deste sábado (28), aos 82 anos, o escritor José Mendonça Teles. Ele estava internado há uma semana no Hospital do Rim, em Goiânia, para se tratar de uma broncopneumonia, doença que surgiu em decorrência do Mal de Parkinson. Nos últimos anos, ele vinha lidando com a enfermidade, tornou-se cadeirante e, por causa dos tremores, deixou de fazer muitas atividades que eram sua paixão, como escrever.

Historiador, poeta, contista, cronista, ensaísta, dicionarista e jornalista, José Mendonça Teles escreveu cerca de 40 livros relacionados à cultura goiana. Natural de Hidrolândia (GO), ele dedicou sua vida a descobrir as peculiaridades de Goiás e não mediu esforços para preservar os bens materiais e imateriais do Estado. Ex-presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Goiás, da Academia Goiana de Letras, do Conselho Estadual de Cultura de Goiás, da Aliança Francesa em Goiás e ex-secretário de Cultura de Goiânia, o escritor e historiador era considerado um dos nomes mais importantes da cultura goiana. Ele ainda dirigiu o Instituto de Pesquisa e Estudos Históricos do Brasil Central (IPEHBC) e a Sociedade Goiana de Cultura.

Entre tantos projetos culturais que José Mendonça Teles coordenou, destaca-se o resgate idealizado pelo Ministério da Cultura, de documentos goianos existentes no Arquivo Ultramarino de Lisboa, datados de 1731 e 1822. O acervo foi trazido microfilmado para Goiás depois de um dedicado trabalho do escritor.

turma de notáveis

José Mendonça Teles se graduou em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO) em 1966, numa turma que marcou época. Entre os bacharéis do grupo estão nomes que tornaram-se ilustres na literatura goiana, como Miguel Jorge, Geraldo Coelho Vaz, Alaor Barbosa, Fernando Valadares, Martiniano José da Silva, Iêda Schmaltz e Edir Guerra Malagoni. A convivência universitária rendeu o livro Poesias e Contos Bacharéis, assinado por ele.

José Mendonça também atuou como professor durante grande parte de sua vida. Ele lecionou no Colégio 5 de Julho, em Goiânia, no Centro de Formação de Oficiais da Polícia Militar, na Faculdade de Ciências Econômicas de Anápolis, na Faculdade Cora Coralina, na cidade de Goiás, e na própria PUC-GO, onde durante 33 anos deu aulas de Direito Constitucional. Em 2004, ele foi agraciado na instituição com o título de doutor honoris causa. Mediante concurso público, o escritor integrou o fisco estadual, onde se aposentou. Ele foi ainda o autor da letra do Hino Oficial de Goiás