Aquele que já foi o segundo maior laboratório de medicamentos do Brasil se vê, hoje, numa situação delicada. Em um cenário de crescimento significativo do mercado farmacêutico, de ampliação das compras públicas de remédios e ainda com perspectivas de melhora futura, a Indústria Química do Estado de Goiás S/A (Iquego), empresa pública, cujo acionista majoritário é o governo est...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários