Funcionários contratados sem carteira assinada, equipes médicas incompletas, falta de material reagente para identificar tipo sanguíneo, demora nos procedimentos cirúrgicos e aparelho de endoscopia que ficou sem funcionar entre o início de setembro e 19 de novembro. A realidade do Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia (Huapa) é descrita por funcionários e ...

Olá, esta matéria é exclusiva para assinantes.

Não sou Assinante.

Para ler a matéria você pode usar as chaves de convidado e desbloquear o conteúdo.
QUERO ASSINAR

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários