A reportagem entrou em contato com o Hospital Renaissance, que designou o sócio Roberto Haddad para responder aos questionamentos sobre a decisão judicial que proibiu o voto de seis credores de sua recuperação judicial por indícios de fraude na documentação. Por mensagem de texto, ele garantiu que não tinha o interesse de votar na assembleia que aprovaria o seu ...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários