Atualizada em 9h50 às 9h50.

A quinta-feira (23) foi de limpeza e de últimos reparos no Hospital de Campanha de Rio Verde. A unidade temporária montada para o enfrentamento do novo coronavírus, localizada no Residencial Nilson Veloso, teve as obras concluídas, segundo o secretário de Saúde do município, Eduardo Ribeiro, e começará a funcionar neste sábado (25). Com cem leitos, o HCamp municipal, no entanto, não terá Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) ou ventiladores mecânicos.

“Será um hospital de passagem, com quartos com suporte de oxigênio, aparelhos de urgência e emergência, para caso de necessidade, como problema cardíaco. A unidade servirá para acompanhamento de pacientes por, no máximo, 48 horas. Após este período, ou (o paciente) recebe alta e vai para casa ou será encaminhado para internação no hospital de referência (Hospital Municipal)”, disse Ribeiro.

Iniciadas no último dia 17, as obras foram feitas com estruturas modulares (que permitem instalação mais rápida). Foram adquiridos 30 módulos, além do aproveitamento de outros 10 módulos de uma escola e uma creche que funcionavam no local antes da pandemia. 

A unidade, segundo Ribeiro, já está toda equipada e com equipes contratadas. O hospital terá entre 90 e 100 funcionários, contando equipes médicas, clínica e de limpeza. “Vamos colocar em funcionamento no sábado. Vai depender agora apenas da limpeza e da finalização da instalação do material que lacra e veda, que é o que está sendo feito agora”, afirmou.

A prefeitura gastou cerca de R$ 2 milhões na compra das salas modulares e de equipamentos mobiliários. De acordo com a gestão municipal, a estrutura temporária será aproveitada, após a pandemia, para montar salas que atenderão as pastas da Educação e da Saúde.

“Não é de alta complexidade, e sim de média complexidade. Atende o paciente que tiver sintomas mais pesados, mas que não necessita de cuidados especiais. Se não evoluir bem, entre 24 horas e 48 horas, será transferido para outra unidade”, detalhou o secretário. Os pacientes serão encaminhados pelas Unidades Básicas de Saúde (UBS) ou pelas Unidades de Pronto Atendimento (UPA). 

Retomada
Com o funcionamento da unidade, cerca de 90% das atividades econômicas do município devem ser retomadas a partir da próxima segunda-feira (27), conforme revelou o prefeito Paulo do Vale (DEM), em entrevista ao POPULAR, na terça-feira (21).

“Primeiro termos uma condição de fornecer, atender à população em caso mais severo de contaminação (do novo coronavírus). Até então, as coisas estavam travadas em Rio Verde. A partir do momento que tivermos um suporte poderemos reabrir o comércio, mas de forma muito seletiva, mais severa nos termos sanitários. Queremos que nossa população trabalhe e produza, mas não queremos pacientes nas filas. Estamos dando a possibilidade para nossa cidade voltar à atividade quase normal”, salientou o secretário.

 

Anápolis sem previsão de data

Ao todo, o governo de Goiás anunciou a abertura de mais de mil leitos para combate ao coronavírus no interior do Estado. A unidade com maior capacidade de atendimento, pelo planejamento estadual, está prevista para ser instalada de forma temporária no Centro de Convenções de Anápolis, caso haja demanda. O local também recebeu visita técnica dos integrantes da Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) nesta quinta-feira (23). Entretanto, ainda não há previsão para a execução do projeto.

“Ontem (quinta-feira, 23) eu fiz uma visita técnica lá com a engenheira da SES para que seja finalizado o projeto e entre em execução nos próximos dias. Não tenho data ainda, mesmo porque tem que contratar uma empresa”, explicou o secretário.

Inicialmente, Alexandrino anunciou 300 leitos para Anápolis. Nesta quinta-feira, ele afirmou que o local deverá abrigar 200 leitos, mas destacou que “se precisar, lá pode receber outros módulos de 200, podendo chegar até mil leitos. Lá é muito grande”.
Além das unidades de Anápolis e do Entorno do Distrito Federal, há projetos em andamento em hospitais de Itumbiara (200 leitos), Jataí (100), Porangatu (60) e São Luís de Montes Belos (50).