Gás já passa de R$ 130 em Goiás após 8ª alta no ano

Após os sucessivos aumentos nos preços do gás de cozinha, o consumidor tem cada vez mais dificuldade para comprar o produto, que ajuda a pressionar o orçamento. Com o oitavo aumento anunciado pela Petrobras este ano, no último dia 9 de outubro, de 7,2%, a estimativa é que o preço do botijão de 13 quilos passe dos R$ 120 na capital e dos R$ 130 em algumas revendas do interior do Estado. Os proprietários de depósitos de gás falam em quedas de até 50% nas vendas, pois as famílias não conseguem mais manter um botijão de reserva cheio em casa. 

Com o botijão custando o equivalente a 11% do salário mínimo de R$ 1.100, o consumidor também tem pesquisado muito mais antes de comprar e as famílias mais carentes imploram por mais descontos nas revendas. 

Pobreza menstrual atinge 130 mil mulheres em Goiás

Papéis sujos, jornais, esponjas, panos e até mesmo miolo de pão. Estas são algumas das estratégias que cerca de 130 mil goianas, segundo o governo estadual, e mais de 4 milhões de meninas brasileiras, de acordo com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), que não têm acesso a absorventes adotam para enfrentar o período menstrual. Em todo o País, a pobreza menstrual ainda é um fator que limita muitas mulheres de trabalharem, praticarem esportes e irem para a escolas.

Pensando nisto, a Câmara dos Deputados enviou o projeto de lei que previa a distribuição gratuita de absorventes para mulheres vulnerabilizadas de todo o País. Entretanto, ele foi vetado pelo presidente Jair Bolsonaro. A justificativa dele foi falta de fonte de custeio para bancar a medida. A decisão do presidente provocou diversos movimentos e ações em prol da dignidade menstrual e desmistificação do tema, inclusive em Goiás

Após Aparecida, variante delta agora é prevalente em Goiânia

Nas últimas semanas epidemiológicas circula com prevalência nas duas maiores cidades goianas, Goiânia e Aparecida de Goiânia, a variante delta (B.1.617.2) do coronavírus (Sars-CoV-2), apontada pela Organização Mundial de Saúde como altamente contagiosa. É o que revelam os programas de sequenciamento genômico do vírus causador da Covid-19 implementados nos dois municípios. A exemplo de Aparecida de Goiânia, que desde abril monitora o comportamento do coronavírus, Goiânia passou a divulgar dados semelhantes na última semana.

Superintendente de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Goiânia, Yves Mauro Ternes explica que a pasta fez um contrato com um laboratório terceirizado que, desde julho, já analisou 290 amostras do coronavírus. A análise é feita semanalmente, com material de pacientes que apresentaram casos leves de Covid-19, de internados em estado grave ou que vieram a óbito. O superintendente ressalta que a variante gama (P1) circulou mais fortemente nos demais meses de 2021, mas nas últimas semanas deu lugar à delta, com mais de 50% dos casos. “O cenário é de cautela. Por isso o uso de máscara e distanciamento social devem permanecer”, diz.