Os “filhos separados”, como passaram a ser chamados os internos de preventórios por todo o Brasil, são objetos de um grupo de trabalho criado em 2012 na então Secretaria dos Direitos Humanos, hoje Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, para fins reparatórios pecuniários. O que se enfatiza é que o Estado brasileiro manteve por longos anos a política de s...

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários