“Ficamos todos completamente assustados e revoltados com o que aconteceu com a minha sobrinha”. A frase é de Maria das Dores da Luz Rocha, de 57 anos, tia de criação de Joseane Rodrigues Silva, de 26 anos, que está atualmente internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), após passar por uma cirurgia de mais de três horas no Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia (Huapa).

Joseane foi vítima da ação de dois homens que invadiram sua casa na última sexta-feira (3). Segundo relatos dos vizinhos, os suspeitos pediram um copo de água e, dentro da residência, esfaquearam a mulher e ainda atearam fogo nela. “Ela chegou aqui em casa toda queimada. Quase não dava para reconhecer o rosto dela. Estava toda ensanguentada porque havia levado várias facadas e mesmo assim ela conseguiu dizer o que tinha acontecido antes de desmaiar”, relatou um dos moradores do Setor Pontal Sul I, em Aparecida de Goiânia, que ajudou a levar a moça ao hospital. Ele preferiu não se identificar.

Os familiares seguem inconformados com o crime. Segundo a tia da vítima, Maria das Dores da Luz Rocha, o álcool que os suspeitos utilizaram para atear fogo na mulher foi comprado em um mercado da região que possui câmeras de segurança. “Vimos uma sacola e o álcool que eles usaram para colocar fogo nela. Com certeza eles devem ter comprado pouco tempo antes de irem para a casa da Joseane. O lugar tem câmera de segurança, mas a polícia não fez nada”. Maria das Dores agora teme que a fita tenha se perdido, já que se passaram alguns dias do crime. A reportagem do POPULAR foi até o 1º Distrito Policial de Aparecida de Goiânia e não conseguiu informações sobre o caso.

ESTADO GRAVÍSSIMO

O médico que participou da cirurgia que durou mais de três horas, Cássio Alves Santana, revela que uma das facadas atingiu o coração e outra perfurou o pulmão. "Ela teve um grande ferimento na região torácica que perfurou o pulmão. Outro no esôfago e um ferimento mais grave no coração, no átrio direito, que é uma área muito nobre do coração”, afirmou o médico em entrevista ao G1. A mulher ainda teve queimadura de 2º grau em mais de 70% do corpo. Ela segue internada e em estado gravíssimo na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Huapa. Joseane está sedada e respira com ajuda de aparelhos. Ela corre risco de morte. Não há previsão de alta.

Diante da gravidade dos ferimentos, a família agora busca esperança na fé. “Estamos esperando pela justiça divina. Deus vai olhar ela com muito carinho e vai abençoar. Vi ela se criar comigo lá no Nordeste e depois aqui em Goiás. Estamos rezando muito para que ela sai dessa”, acredita a tia da vítima, Maria das Dores. Os familiares da vítima são todos do Nordeste e chegam a Aparecida de Goiânia nesta segunda-feira (6). “Vão ficar aqui em casa e serão muito bem tratados nesse momento difícil”, completa Maria das Dores.

Vera Silva, outra tia de criação de Joseane Rodrigues, também acredita na ação divina para curar a sobrinha. “A gente tem que colocar a vida dela nas mãos de Deus”, disse.