Os números refletem bem a situação. A Indústria Química do Estado de Goiás S/A (Iquego) fechou o ano passado com uma produção bem abaixo do que é capaz. Segundo o gerente de Planejamento, Programação e Controle de Produção da empresa, Laurindo Damas, que há 15 anos trabalha na Iquego, a estrutura existente, hoje, permite uma capacidade produtiva de 1 bilhão de unidades de ...

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários