Pela terceira vez desde que implantou o serviço de monitoramento de presos em Goiás, a empresa Spacecom S.A. pode suspender o acesso dos servidores do Estado aos dados de monitoramento por falta de pagamento. A reportagem apurou que a dívida goiana com a empresa paranaense supera R$ 4 milhões e que existem faturas em aberto desde o último contrato, quando o custo mensal ...

Você se interessou por este conteúdo?

Seja nosso convidado.

É só usar as chaves para abrir até
5 conteúdos por mês.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários