A juíza Marli de Fátima Naves afirmou em decisão enviada ao Supremo Tribunal Federal (STF) no início da tarde desta sexta-feira (4) que “não há, até presente data” indícios de que o médium João de Deus precise ser transferido para receber atendimento de um especialista em cardiologia. O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, pediu à juíza de Abadiânia que informasse o estado de saúde do detento. Com base nas informações repassadas por Marli de Fátima nesta se...

Olá, esta matéria é exclusiva para assinantes.

Não sou Assinante.

Para ler a matéria você pode usar as chaves de convidado e desbloquear o conteúdo.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários