“Eu vou até o fim agora. Ela tem de ser punida pelo que fez comigo”. A frase é do motoboy Elson de Oliveira, de 39 anos, vítima de racismo na noite de domingo (25), quando fazia uma entrega no Condomínio Aldeia do Vale, em Goiânia. “Esse preto não vai entrar no meu condomínio. Mandar (<FI10>sic</FI>) outro motoboy que seja branco. Eu não vou permitir esse m...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários