Abadiânia, que antes tinha mais de 80 hotéis e pousadas, passou a exibir, em cada esquina, placas de aluga-se e vende-se. No total, 37 taxistas tinham, geralmente, mais de um carro para suprir as longas e frequentes viagens entre Abadiânia e o aeroporto de Brasília, por onde chegavam e saíam os estrangeiros. No geral, a média de uma corrida entre as cidades era de R$ 250 e...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários