Atualizada às 11h30

O casal de empresários João Brito Júnior e Wanissy Arantes, proprietários de três lojas de móveis na Avenida 136, no Jardim Goiás, está preso preventivamente pelos crimes contra a ordem tributária, falsidade ideológica e uso de documento falso. 

A delegada Tatyane Gonçalves Cruvinel Costa, adjunta da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra a Ordem Tributária (DOT), explicou que uma ação fiscal da Secretaria da Fazenda, em parceria com a Polícia Civil, em 2013, constatou que o casal não emitia notas fiscais e sonegava Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre as vendas realizadas nas loja. 

A partir da fiscalização, a Polícia Civil investigou o casal, descobrindo que ao ter problemas com uma loja, abria outra utilizando documentos falsos. A razão social das empresas envolvidas eram KGS Indústria e Comércio de Móveis Interiores e JB Júnior Comércio Interior, com nomes fantasia “Sofá di Casa” e “LaCasa”.  Elas estão suspensas judicialmente e tiveram o funcionamento interrompido pela Polícia Civil. 

A princípio, a Polícia Civil divulgou que LTDA Mem Casa do Sofá estaria envolvida, mas corrigiu a informação. “A Casa do Sofá não tem nada a ver com a história”, admitiu a delegada Tatyane.

O prejuízo aos cofres públicos com a sonegação fiscal chega, até agora, a R$ 2 milhões, segundo a delegada. Wanissy está recolhida na carceragem do 14º Distrito Policial e João Júnior na carceragem da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic).