O Ministério Público Federal (MPF) em Goiás investiga a divulgação de serviços clínicos e medicamentos abortivos em diversos perfis e páginas do Facebook. O procedimento foi instaurado na semana passada. Como solicitado pelo procurador da República Ailton Benedito, que atua no caso, a rede social deve se pronunciar sobre as publicações e quais atitudes foram tomada...

Olá, esta matéria é exclusiva para assinantes.

Não sou Assinante.

Para ler a matéria você pode usar as chaves de convidado e desbloquear o conteúdo.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários