‘Dealer’ não tem contrato empregatício reconhecido

Por se tratar de objeto ilícito, a Segunda Turma do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-GO) manteve a decisão da 9ª Vara do Trabalho de Goiânia, que negou o vínculo empregatício de um dealer (pessoa que coordena apostas em jogos de pôquer) com um bar da capital. O homem havia alegado que foi…

Olá, esta matéria é exclusiva para assinantes.

Não sou Assinante.

Para ler a matéria você pode usar as chaves de convidado e desbloquear o conteúdo.
QUERO ASSINAR
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários