Com a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) declarada pela Organização Mundial da Saúde e com o aumento dos casos, muitos países discutem como ficam as populações carcerárias neste contexto. Na última sexta-feira (20) ministros e autoridades penitenciárias de Argentina, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai e representantes do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) se reuniram para debater o problema.

O CICV, por meio da chefe da Delegação Regional do CICV, Simone Casabianca-Aeschlimann, se colocou à disposição para ajudar. O trabalho do comitê se concentra em fortalecer o exame médico do recém-chegado ao sistema prisional e criar medidas de prevenção.

No último dia 16, o Departamento Penitenciário Nacional (Depen), vinculado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, anunciou medidas de prevenção do novo coronavírus no sistema carcerário. Foram suspensas por 15 dias as visitas sociais nos presídios federais; por cinco dias os atendimentos de advogados – salvo necessidades urgentes ou que envolvam prazos processuais não suspensos; e escoltas – com exceção de requisições judiciais e inclusões emergenciais. ()