A Casa de Prisão Provisória (CPP) do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, maior unidade prisional de Goiás, vive um cotidiano dominado pelo crime organizado, que lucra cobrando dos presos o que era obrigação do Estado. Lideranças ganham dinheiro e influência com venda de água potável, comida, local para dormir e chegam a selecionar quem tem atendimento médico. Uma d...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários