A morte de um refugiado de Serra Leoa, na África, e de uma pessoa em situação de rua em um dos quartos da Casa da Acolhida Cidadã (CAC) 1, no Setor Campinas, em Goiânia, na semana passada, trouxe questionamentos não apenas sobre a segurança no local como a respeito da origem das vítimas e do papel do governo na proteção das pessoas que acolhe, como prevê a nova Lei de M...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários