Os goianos são os que mais atendem às orientações de isolamento social e restrição de mobilidade desde que os casos do novo coronavírus (Covid-19) chegaram ao Brasil. Levantamento feito pelo POPULAR a partir dos dados de mapeamento por tecnologia de geolocalização fornecidos pela empresa In Loco mostra que o Estado está sempre entre os primeiros nos índices divulgados, com percentuais sempre superiores a 50%. Reportagem do POPULAR mostrou que Goiás tem conseguido controlar o avanço do novo coronavírus e as restrições impostas pelo governo estadual são apontadas como um dos principais fatores para este resultado.

Em Goiás, a taxa de isolamento girava em torno de 32,3% até o dia 12 de março, quando foram registrados os primeiros casos de Covid-19 no Estado. Depois, até o dia 20, ficou na média de 43%. Foi a partir do dia 21, um sábado, que o índice nunca mais ficou abaixo de 50% e dos 26 dias que se seguiram em 11 o índice ficou acima de 60%.

A taxa de isolamento é calculada pela In Loco diariamente a partir do monitoramento de dados captados de forma criptografada de mais de 60 milhões de dispositivos móveis. Estas informações têm sido usadas por pesquisadores para analisar a relação entre a restrição de mobilidade da população nas ruas e o avanço da contaminação pelo novo coronavírus. É consenso entre os cientistas que os altos percentuais de isolamento em março evitou um número ainda maior de internações.

Entretanto, gradativamente, o índice de isolamento em Goiás tem caído. Na primeira semana completa após o decreto do governo estadual restringindo atividades de comércio e de serviço, a média ficou em 64%. Depois passou para 58,3% e 57,9% nas duas semanas seguintes. Na atual semana, com números até quarta-feira (15), a média está em 56,1%.

A semana que se encerra registrou dois dos três piores índices de isolamento em Goiás, sendo o pior na segunda-feira (13), com 50,2%. Na quarta-feira (15), a taxa ficou em 52,7%. Mesmo assim, os goianos seguem como os que mais respeitam as medidas de restrição, considerando os números dos outros Estados.

Na quarta, apenas Goiás, Distrito Federal e mais dois Estados seguiram acima de 50%. Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Roraima e Tocantins ficaram abaixo de 40%.

Apesar de o governo estadual não falar em um percentual ideal, em São Paulo o governo de lá trabalha com uma meta de 70%, índice alcançado apenas em um único dia (domingo, 22 de março) e por oito Estados, incluindo Goiás.

A In Loco explica que para compor o que ela chama de Índice de Isolamento Social, as informações coletadas dos dispositivos móveis são criptografadas e agregadas por bairro, indicando a movimentação destes grupos dentro das áreas em que estão localizadas. "Um baixo percentual de isolamento representa um grande número de pessoas entrando ou saindo de determinado bairro ou região", explicou a empresa, por nota.