“O cenário é de imensa fragilidade nos controles do contrato de gestão.” Quem afirma isto é a Controladoria Geral do Estado de Goiás (CGE-GO) em um dos relatórios de inspeção das contas da organização social (Gerir) que administra, desde 2012, o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo). Nas últimas semanas, a crise de abastecimento da unidade, que motivou o termo de inte...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários