Atualizada às 11h05

Começou nesta segunda-feira (23), em todo o país, a campanha de vacinação contra gripe, que foi antecipada pelo Ministério da Saúde (MS). Nesta primeira fase, a campanha será restrita a idosos e profissionais da saúde. Para diminuir as aglomerações em postos de saúde, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Goiânia realizou parcerias com a Secretaria Municipal de Educação (SME) e também com instituições privadas, entre elas, o Goiás Esporte Clube, que liberou a sede para aplicação de vacinas.

No total, 73 postos de vacinação estão espalhados pela capital e o pedido da SMS de Goiânia é que os idosos evitem aglomerações e também respeitem o distanciamento nas filas de imunização. Em Goiânia, a vacinação ocorrerá em locais como igrejas e escolas. Outra orientação é procurar horários alternativos e locais que possuem uma demanda menor. Neste primeiro momento, até o dia 16 de abril, apenas idosos e profissionais da saúde receberão a imunização e se outras pessoas procurarem as unidades, não receberão as doses.

Apenas na capital, a população estimada de idosos é de 127 mil e os profissionais de saúde somam 77 mil. A meta é atingir 90% deste primeiro público-alvo. Gerente de imunização da SMS de Goiânia, Polyana Braga explica que a pasta está fazendo parcerias com hospitais e instituições hospitalares para que os profissionais sejam vacinados nas próprias unidades. O objetivo, segundo ela, é deixar os postos exclusivamente para os idosos.

“Como os sinais e sintomas do H1N1, do Covid-19 e de outras doenças respiratórias são semelhantes e a forma de contágio também é semelhante, o que se pretende com a campanha de vacinação é diminuir a carga dos serviços de saúde que estarão recebendo pessoas com o Covid-19. Se diminuirmos os casos de H1N1, abrimos mais possibilidades de atender covid-19, que até o momento, ainda não temos vacina. A H1N1 também é grave e leva a óbito. Temos dois meses de campanha e vamos receber essa vacina de forma parcelada. Não necessariamente precisam todos procurar a vacina no primeiro dia”, explica a gerente de imunização.

Idosos que estiverem apresentando sintomas de gripe devem esperar melhora no quadro de saúde para depois procurarem os postos de vacinação.

Vacinação de rotina suspensa

As vacinas de rotina estão suspensas neste momento, bem como a campanha de vacinação contra o sarampo. O pedido é para que apenas os idosos compareçam aos postos e que crianças fiquem em casa. Polyana Braga afirma que a maioria das crianças é assintomática para o Covid-19, mas continuam transmitindo o vírus. “As demais vacinas foram suspensas justamente para não ter contato entre crianças e idosos, que fazem parte do grupo mais vulnerável. A indicação é procurar uma alternativa para deixar esta criança em casa, não trazer ao posto de saúde e aguardar o momento certo para esse grupo.”

Cuidados na fila

O Ministério da Saúde recomendou que para as pessoas evitarem aglomerações durante a fila, mantendo uma distância mínima. João Batista Sobrinho, de 71 anos, chegou à sede do Goiás Esporte Clube às 2h e disse que ajudou a demarcar a distância mínima que deveria ser respeitada na fila. “Peguei um gesso e fui marcando no chão para que as pessoas ficassem a dois metros de distância”, explicou. Apesar de a fila ter dado a volta no local, a maioria dos idosos respeitou a distância e também utilizou máscaras.

Números no Brasil

Segundo dados do Ministério da Saúde, em 2020, até 14 de março, foram registrados 165 casos e 13 óbitos por Influenza A (H1N1), 139 casos e 14 óbitos por Influenza B e 16 casos e 2 óbitos por Influenza A (H3N2). Em 2019, o Brasil registrou 5.800 casos e 1.122 óbitos pelos três tipos de influenza.

Etapas da vacinação

1ª etapa – 23 de março a 16 de abril

Idosos e profissionais da Saúde

2ª etapa – 16 de abril a 9 de maio

Doentes crônicos, professores (rede pública e privada), profissionais das forças de segurança e salvamento

3ª etapa – 9  de maio

Crianças de 6 meses a menores de 6 anos, pessoas com 55 a 59 anos, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas com deficiência, povos indígenas, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas e população privada de liberdade.