Mesmo diante da redução nas taxas de ocupações totais de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) na última semana, 38 dos 246 municípios goianos não conseguiram zerar suas filas de leitos em nenhum dia na última semana. Enquanto parte dos gestores diz que há rotatividade de pacientes e que não faltam unidades para apoio de casos graves, outros relatam demora de até uma sema...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários