Atualizada às 21h19

Boletim divulgado na tarde deste domingo (22) pela Secretaria de Estado de Saúde de Goiás (SES-GO) informou 21 casos do novo coronavírus (Covid-19) confirmados por critério laboratorial no Estado. O número de casos suspeitos aumentou de 506 para 765. Outros 170 foram descartados. Não há registros de mortes.

As confirmações foram registradas nos municípios de Goiânia (11), Rio Verde (5), Anápolis (2), Aparecida de Goiânia (1), Jataí (1) e Catalão (1). Os dados são os que estão registrados no banco de dados do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs) de Goiás.

No boletim de sexta-feira (20), a SES havia divulgado que Aparecida de Goiânia tinha dois casos confirmados da doença. No sábado (21), a Secretaria de Saúde do município esclareceu que há apenas um caso da doença, dado que pemenece informe de hoje. De acordo com o município, a SES contabilizou o caso de uma mulher que foi atendida na UPA 24 horas Geraldo Magela, no Parque Flamboyant, mas na cidade.

"Ao dar entrada na UPA, a mulher informou que morava em Aparecida, mas após ser regulada para o HDT, hospital referência no atendimento de pacientes com suspeita de Coronavírus, a mãe dela informou que a paciente morava no Setor Pedro Ludovico, em Goiânia", informou a Secretaria de Comunicação do município. 

Conforme protocolo do Ministério da Saúde, o registro considera onde o paciente confirmado reside e não o local de atendimento. Aparecida conta com 28 casos suspeitos e teve 60 descartados.

Brasil
O balanço do Ministério da Saúde divulgado na tarde deste domingo (22) contabilizou 25 mortos e 1.546 casos de coronavírus confirmados País. Das mortes, 22 aconteceram em São Paulo (3,5% de mortalidade em relação aos casos confirmados no Estado) e 3 no Rio de Janeiro (1,6% de mortalidade).

São Paulo continua concentrando a maior parte das confirmações no Brasil, com 631 casos. O Sudeste responde por 59,9% dos pacientes de coronavírus.

O Ministério não informa o número de casos suspeitos por considerar que o País inteiro se encontra em transmissão comunitária -ou seja, quando não é possível identificar a origem do vírus e, diz que, por isso, qualquer um com sintomas gripais é um caso suspeito.

A secretaria de Estado de saúde do Rio de Janeiro informou neste domingo que investiga dez mortes que podem ter ocorrido após infecção pelo novo coronavírus.
Até o momento, três mortes já foram confirmadas no Estado em função do vírus. Há 186 casos registrados, sendo 168 na capital do Estado.

Entre os casos confirmados, 15 estão em leitos clínicos e 17 estão em intensivos. Os demais encontram-se em isolamento domiciliar.

O sol chegou a aparecer entre as nuvens neste domingo no Rio de Janeiro, mas as praias da zona sul ficaram vazias. Para evitar aglomerações e combater o avanço do novo coronavírus, a orla está interditada e a Polícia Militar faz a fiscalização. Os poucos banhistas que se aventuraram foram expulsos pela Polícia Militar.

Aeroportos
A empresa pública Infraero divulgou nota neste domingo para esclarecer que os 47 aeroportos que administra pelo País seguem operando. Entre os terminais estão os aeroportos Santos Dumont, no Rio de Janeiro, e o de Congonhas, em São Paulo. Diante da crise gerada pelo novo coronavírus, a Infraero também pontuou que seguirá irrestritamente as orientações do governo federal sobre o assunto. Nesta semana, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, disse que o Executivo não irá fechar aeroportos em razão da doença.

“As operações aéreas nos 44 aeroportos da Rede Infraero (além de outros três contratos de gestão) estão ocorrendo normalmente, sem interrupção na prestação de serviço aeroportuário, conforme as normas do setor”, diz a nota.

O funcionamento de aeroportos diante da disseminação do coronavírus gerou polêmica entre os governos estaduais, municipais e o federal nos últimos dias. (Folhapress e Agência Estado)