Uma decisão inédita do Instituto de Assistência dos Servidores Públicos do Estado de Goiás (Ipasgo) abriu precedente para que mulheres não seguradas que geram filhos de pessoas atendidas pelo plano de saúde, a chamada barriga solidária, recebam a assistência necessária no período de gestação. A medida foi provocada por um casal homoafetivo de Goiânia, que solicitou a...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários