Um caminhão baú foi apreendido, nesta madrugada, transportando irregularmente 21 trabalhadores nordestinos na BR-153, em Porangatu. O veículo foi abordado no posto Polícia Rodoviária Federal (PRF) e ao abrir o compartimento de carga, a polícia constatou que 21 homens com idades entre 18 e 40 anos, viajavam em condições precárias. 

 
Segundo o caminhoneiro de 34 anos, eles retornavam ao Estado da Paraíba após quatro meses viajando por vários estados da federação, sendo Santa Catarina o final da rota, para vender panelas e utensílios domésticos. 
 
Redes foram montadas para alojar os trabalhadores dentro do próprio caminhão durante toda viagem. Nenhum deles possuía vínculo empregatício e ganhavam de acordo com que vendiam. A alimentação era por conta do próprio trabalhador e só poderiam voltar pra o Estado de origem quando todo ciclo de viagem fosse concluído.
 
Além de comprar passagens de volta para todos os trabalhadores, que foram colocados em ônibus com destino à Paraíba. O caminhoneiro foi enquadrado no crime do artigo 132 do Código Penal, o de expor a vida ou a saúde de outrem a perigo direto e iminente. Que prevê pena de três meses a um ano, mas pode ser aumenta devido ao transporte de pessoas para prestação de serviços em estabelecimentos de qualquer natureza. 
 
O caso foi encaminhado à Procuradoria do Trabalho de Goiás para apurar possível trabalho escravo e/ou infringência às normas trabalhistas. Esta é a segunda apreensão de veículos com trabalhadores em situação ilegal no Estado, em menos de uma semana.