Atentos a cada palavra pronunciada pelos candidatos ao governo de Goiás, cerca de 100 assinantes do POPULAR participaram ontem, pela manhã, do Face a Face Especial, debate transmitido pela internet com os governadoriáveis Iris Rezende (PMDB), Marconi Perillo (PSDB) e Vanderlan Cardoso (PR). Enquanto outros assinantes da publicação acompanharam o evento pela internet, esse grupo foi cadastrado para presenciar, no auditório da Organização Jaime Câmara (OJC), a discussão das propostas de campanha.

Admitido que o evento foi importante para ajudar na definição do voto para o chefe do Executivo estadual, os leitores se mostraram surpresos com o bom nível dos questionamentos realizados pelos eleitores por meio de vídeos gravados no terminal eletrônico do Face a Face e entre questões da internet, enviadas pelo Facebook e Twitter. A qualidade e pertinência das indagações foram apontadas pelo advogado José Borges como um dos pontos altos da iniciativa. Segundo ele, as perguntas foram bem formuladas e os candidatos até tentaram fugir dos questionamentos na primeira rodada de perguntas.

No entanto, José Borges esperava que os governadoriáveis apresentassem soluções para o problema da falta de segurança nas cidades do Estado, que, para ele, é um tema de grande importância para todos os goianos. Ele também aprovou a inovação criada com o concordômetro, recurso pelo qual o internauta podia concordar ou discordar das respostas dos governadoriáveis em tempo real. Segundo ele, o gráfico mostrou o grau de participação da população via internet, evidenciando interesse pelo debate político.

Para a técnica em enfermagem Neuza Maria da Costa, que assina o POPULAR há 10 anos, o debate promovido pelo jornal foi essencial para que a população conheça as reais propostas dos postulantes ao Palácio das Esmeraldas.

O comerciante Inácio da Silva também considerou a iniciativa interessante, assim como acredita que houve uma participação maciça do público pela internet. ?As perguntas foram ótimas e o debate tomou um rumo interessante. Gostei muito das considerações finais dos candidatos?, avalia. Já o professor Charlles Borges fez uma análise mais crítica, vendo diferenças marcantes entre os candidatos. ?Iris e Marconi não deixaram o discurso político de lado, enquanto Vanderlan tentou se aprofundar na elaboração das respostas para os internautas?, analisa. Além disso, Charlles percebeu que o republicano e o peemedebista não se atacaram e chegaram até a trocar perguntas para bombardear o tucano, que é líder nas pesquisas de intenções de voto.

De acordo com Simone Tuzzo, professora de Opinião Pública da Universidade Federal de Goiás (UFG), hoje todo candidato deve aprender a trabalhar com a mídia eletrônica como uma nova forma de comunicação para fazer política. Nesse sentido, ela acredita que Marconi Perillo acertou ao fazer um discurso voltado para o público do debate pela internet, composto em grande parte por formadores de opinião. Simone Tuzzo revela que o sucesso do tucano se deve à sua maior familiaridade com os meios de comunicação da internet com o twitter e outras mídias sociais. ?Já vinha fazendo pesquisas há algum tempo sobre esse tema. Marconi acertou na estética do discurso, dando respostas mais curtas e adaptadas ao meio. Já Iris e Vanderlan falaram mais para a massa?, ressalta.

Apesar do clima sério do debate, houve momentos de descontração em função do discurso dos candidatos. Iris Rezende foi quem mais tirou sorrisos dos assinantes. Primeiro, o peemedebista disse que, com o objetivo de equilibrar as contas do governo em 1983, vendeu muitos dos aviões do Estado, que tinha mais aeronaves do que a força aérea do Paraguai. Posteriormente, Marconi Perillo chamou Iris de exterminador dos programas sociais. O peemedebista rebateu e apontou o tucano como exterminador da estrutura do Estado. Por último, em suas considerações finais, Vanderlan voltou ao assunto. O republicano aproveitou a deixa para dizer que os seus dois concorrentes são exterminadores do passado e continuam a postular o governo para se tornarem exterminadores do futuro, como o vilão interpretado no cinema por Arnold Schwarzenegger, atual governador do Estado da Califórnia, nos Estados Unidos.

ASSINANTE FALA

Professora universitária defende que candidatos devem aprender a trabalhar com a mídia eletrônica como uma nova forma de comunicação para fazer política

?Acho que as perguntas foram bem formuladas pelos internautas, mas os candidatos tentaram fugir um pouco das perguntas. Uma questão muito importante como a segurança ficou de fora do debate.?

José Borges, advogado

?Esse debate foi uma iniciativa muito interessante e ocorreu em grande nível. As perguntas dos internautas superaram as minhas expectativas.?

Silvio Inácio da Silva,
comerciante

?O melhor debate que vi neste ano. Foram feitas perguntas bem formuladas e os candidatos puderam se confrontar e apresentar seus programas de governo.?

Gustavo Paixão Faleiros, advogado

?O debate deu um bom embasamento para que o eleitor faça a sua escolha. Acho que os candidatos deveriam ter falado de segurança pública, abordando principalmente a questão da mulher.?

Neuza Cesário da Costa,
diretora de saúde do Centro Popular da Mulher

?Os candidatos apresentaram com clareza as suas propostas. Cabe agora ao eleitor analisar quem foi o melhor. A participação efetiva dos internautas mostra o interesse da população pelo processo eleitoral.?

Thales Jayme, advogado

?Aprecio muito os debates. Neles, o eleitor pode fazer uma comparação entre os candidatos, não se baseando apenas pelo horário eleitoral na TV. Eles se expressam de uma forma mais clara e positiva do que num simples comício.?

Délio Moreira de Araújo,
professor da PUC-Goiás

?Foi um debate transparente, como um face a face mesmo. A iniciativa é importante, utilizaram uma ferramenta moderna como a internet, que só tem a evoluir.?

Freud de Melo,
jornalista e ex-prefeito de Aparecida de Goiânia

?É uma iniciativa louvável, já que torna possível a democratização das informações, dando voz à população, que muitas vezes fica apenas como espectadora do processo eleitoral.?

Simone Tuzzo,
professora de Opinião Pública da UFG

?Foi muito importante para levar aos internautas os planos de governo dos candidatos. Essa iniciativa deve ser seguida por outros meios de comunicação.?

Luís Carlos Garcia,
engenheiro civil

?Iris e Marconi falaram mais em tom de discurso político. O Vanderlan se preocupou um pouco mais em responder as perguntas.?

Charlles Borges,
professor