Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da Capital, ultrapassou nesta quarta-feira (1º) os 3 mil casos confirmados do novo coronavírus (Sars-Cov-2), totalizando 3.033 registros. De acordo com o boletim da prefeitura local, até a noite desta quarta foram registradas 143 novas confirmações, 4 mortes e 5 óbitos estão sob investigação.

🔘 Acesso o nosso especial 'Coronavírus Sem Mistério' e confira gráficos interativos, lives, entrevistas, podcast e tire as suas dúvidas da doença

Segundo os dados, na faixa etária dos 30 a 39 anos está a maioria dos casos, com 826 registros, seguidos pelo grupo na faixa dos 20 a 29. A maioria dos registros, 1.550, é em mulheres, enquanto os homens correspondem a 1.483.

Cenário laranja

Desde segunda-feira (30), o cenário do isolamento social intermitente em Aparecida mudou para o cenário laranja/risco alto, seguindo a Matriz de Risco do Ministério da Saúde, que a cidade adotou para fazer o enfrentamento à pandemia ainda em 22 de abril. 

A alta taxa de ocupação de leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) e o aumento de contágio entre a população foram os fatores que levaram à mudança. Nos últimos dias, a taxa de ocupação de leitos de UTIs públicas ficou em torno de 69% e os leitos privados em 100%. 

Com esta mudança, a partir do próximo domingo,  5 de julho, cada macrozona vai fechar duas vezes de segunda a sexta-feira. Nos finais de semana, Aparecida de Goiânia inteira fecha aos sábados, a partir das 13 horas, e aos domingos o dia todo.

No dia de fechamento da macrozona, entre segunda e sexta, terão de suspender o atendimento até mesmo supermercados, padarias e postos de combustíveis.

As decisões foram tomadas pelo Comitê de Enfrentamento ao novo coronavírus de Aparecida, com base em nota técnica da Secretaria de Saúde de Aparecida e dados científicos . O objetivo é preservar vidas e salvaguardar empregos e renda, conforme orienta a Organização Mundial da Saúde.