Morreu nesta quarta-feira (7), a professora Jenny Teixeira, de 33 anos, por complicações da Covid-19. Ela lecionava a disciplina de Língua Portuguesa, no Colégio Estadual Professor Wilmar Gonçalves Silva, localizado no setor Vila Morais, em Goiânia. A educadora se destacava por colecionar notas altíssimas em redações do Enem. 

Ela estava há uma semana com a doença, apresentava quadro estável e se tratava  em casa. No entanto, a morte do pai há 3 dias, também vítima da Covid-19, a deixou extremamente abalada. Jenny foi internada no Hospital Monte Sinai em Goiânia, no dia 5 de abril. Foi entubada, mas não resistiu na luta contra a doença. 

Ao POPULAR, uma amiga de Jenny, a professora de história, Jessyka Priscilla, que também é professora na mesma escola, enviou um print da última mensagem que recebeu da amiga quando ainda estava hospitalizada: "Orem, orem, orem. Não quero morrer", ela esceveu. 

Jessyka disse ainda que a colega de trabalho defendia o isolamento social e sonhava com a vacinação para os profissionais da Educação."A Jenny queria muito viver, mandou mensagem em grupo pessoal antes de ser entubada pedindo orações. Sua partida é uma dor muito grande para todos nós", relatou. 

Ainda segundo a amiga, a professora de português fazia algumas ações para não deixar os alunos desistirem de estudar. "A Jenny era uma excelente profissional, uma pessoa extremamente maternal, cuidava de tudo e de todos. Não esquecia aniversário de ninguém. Se dedicava a ensinar as meninas a se posicionarem e não sofrer nenhum tipo de abuso físico e psicológico", completou. 

Jenny Teixeira deixa duas filhas, uma de 4 anos e outra de 7 anos de idade.