João Teixeira de Faria, de 78 anos, o João de Deus passou por exames psiquiátrico e clínico, nesta segunda-feira (26), na Junta Médica Oficial do Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO), no Setor Urias Magalhães, na capital. O médium foi acompanhado por agentes do grupo de escolta penitenciária. Após os procedimentos, ele retornou ao Complexo Prisional, em Aparecida, na região metropolitana da capital.

Esta é a segunda vez em três dias que o médium deixa o presídio para realizar exames. Na última sexta-feira (23), ele passou por uma tomografia computadorizada no Hospital São Silvestre, em Aparecida de Goiânia. O médium permaneceu cerca de 10 minutos na unidade.

Nesta segunda, ele foi avaliado por sete médicos peritos, sendo três psiquiatras, três clínicos e um ortopedista. A previsão é que os laudos fiquem prontos dentro de 15 dias. A defesa afirma que o estado de saúde dele é gravíssimo. Um laudo enviado pelo advogado Anderson Van Gualberto mostra que o médium chegou a cair dentro da cela por algumas vezes e sofreu escoriações.

A defesa do João de Deus também informou que pretende protocolar, nesta terça-feira (27), uma medida judicial para que o Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) apresente documentos sobre as quase 600 supostas vítimas do médium.

O advogado Anderson Vangualberto disse que passado quase um ano desde que começaram a surgir denúncias em massa, o MP não apresentou provas de todos os casos. Teriam sido apresentadas 42 vítimas.

João de Deus está preso desde o dia 16 de dezembro de 2018 e nega todos os crimes. Segundo o Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO), o médium é réu em nove ações por crimes contra a dignidade sexual e em mais duas ações por posse ilegal de armas de fogo e munições.