O cantor Amado Batista, o gerente da fazenda, que não teve o nome divulgado, e representantes da prefeitura de Goianápolis devem ser intimados para depor nos próximos dias sobre o flagrante da última sexta-feira (9) quando um vereador do município foi flagrado dirigindo um trator da prefeitura e realizando uma terraplanagem na fazenda do sertanejo, que fica no município.  Após pagamento de fiança no valor aproximado de R$ 10 mil o político foi liberado.

Responsável pela investigação, o delegado Rodrigo Arana contou que os policiais chegaram até o local após uma denúncia anônima junto ao Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO). Durante a abordagem, o vereador, que não teve o nome revelado pelo investigador, contou que estava lá a pedido do prefeito. “Ele em cima do trator afirmou que estava lá a pedido do prefeito temos que verificar isso. Não posso divulgar o nome para não atrapalhar as investigações e as oitivas. Temos um vídeo, mas ele só será divulgado em momento oportuno”, pontou.

No entanto, a reportagem apurou que o vereador em questão é Sebastião Assis Pereira do Progressistas (PP). Através de ligação, o político confirmou que era ele que estava pilotando o trator, mas negou que estaria lá a pedido do prefeito Francisco de Moraes, mais conhecido como Chiquinho. A reportagem tentou sem sucesso contato com o prefeito do município. O vereador também afirmou que não iria comentar sobre o assunto e orientou a entrar em contato com o advogado dele. O advogado não foi localizado pela reportagem.

O delegado contou que nesta segunda-feira (12) transformou o flagrante em inquérito policial e como o vereador foi liberado após pagamento de fiança ele agora tem 30 dias para concluir a investigação. “Ele (vereador) é réu primário, é vereador, sem antecedentes criminais e com residência fixa”, relatou.

Segundo Rodrigo, a prefeitura vai ter que apresentar um processo administrativo para explicar porque a máquina que deveria servir a população estava na fazenda no cantor. O sertanejo, por sua vez, além do pedido junto a prefeitura também terá que apresentar uma licença junto a Secretaria de Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos (Secima) que autorize a obra. “A fazenda está inserida em uma APP (área de preservação permanente) com baixo impacto ambiental, mas ele necessita de licença para realizar ações no local”, frisou.

Informalmente, pessoas ouvidas contaram que a terraplanagem seria a primeira etapa para a construção de galpão que permitirá a ampliação da produção de leite na propriedade. A reportagem tentou contato com o sertanejo, nesta segunda-feira (12), mas não obteve sucesso.

Em entrevista a TV Anhanguera, Amado Batista confirmou que fez o pedido para o prefeito Chiquinho, pois sabe que o empréstimo é permitido em lei. A prefeitura de Goianápolis, por sua vez, informou que o empréstimo de máquinas está previsto em um artigo da Lei Orgânica da cidade e não caracteriza crime. Mas o investigador explica que a lei prevê que as partes assinem um termo de responsabilidade e que o documento não foi apresentado pelas partes no momento do flagrante.