A Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe) pagou R$ 210 mil por um projeto urbanístico de Trindade em 2017 que havia sido encomendado pela Associação dos Desenvolvedores Urbanos do Estado de Goiás (ADU-GO), porque a entidade do ramo imobiliário estaria com recursos limitados. Na época, a associação religiosa era dirigida pelo padre Robson de Oliveira Pereira. Reportagem da ediç...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários