O envolvimento do major da Polícia Militar de Goiás (PM-GO), Augusto Sampaio de Oliveira Neto, em uma ocorrência de receptação, chamou a atenção do analista de sistemas e estudante de Políticas Públicas na Universidade Federal de Goiás (UFG), Mateus Ferreira, de 35 anos. O jovem sofreu lesões graves na cabeça e ficou 18 dias internado, depois que o oficial quebrou um cassetete em sua testa durante uma manifestação de rua no centro de Goiânia, em abril de ...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários