Os ônibus do transporte coletivo estão rodando de acordo com a liminar que determinou operação de 100% da frota na Grande Goiânia. O POPULAR percorreu terminais e pontos de ônibus para conversar com usuários e verificou que os veículos estão vazios. Em horário de grande movimento, por volta das 18 horas, nenhum ônibus saiu do Terminal Cruzeiro com mais de 10 pessoas. A maioria tinha média de cinco pessoas. A reportagem verificou a mesma situação no Terminal Padre Pelágio, Praça da Bíblia, Terminal Isidória e Praça A.

A funcionária de uma farmácia do Parque Amazônia, Letícia Almeida, de 27 anos, disse que não foi dispensada e que continua utilizando o ônibus para ir e voltar do trabalho. “Na semana passada tive mais dificuldade, mas essa semana está tranquilo. Pego o Circular Sul – Veiga Jardim e ele sempre está lotado esse horário. Hoje vim com mais quatro pessoas. Acredito que na volta para casa não será diferente”, disse antes de entrar no veículo junto com mais seis pessoas.

O mecânico Jair Gomes de Andrade, 49 anos, possui uma oficina no Jardim Nova Era e mora no Garavelo. “Quando eu posso, venho de ônibus para não ocupar garagem com meu carro. Nesses dias estou vindo só de ônibus porque está sendo como um transporte individual”, brinca. Ele disse que não está abrindo o comércio, mas que está finalizando serviços que já havia começado. “Mas eu garanto que não tenho contato com aglomerações, a começar do ônibus. Aqui na oficina, sou apenas eu. Acredito que está tudo certo”, diz.

No terminal provisório construído para abrigar os passageiros que utilizavam o Terminal Isidória, poucas pessoas esperavam pelo transporte coletivo por volta das 18h15 desta terça-feira (24). Os veículos chegavam e partiam com pouquíssimos passageiros. Nem mesmo nas filas haviam pessoas para lotar um ônibus. Por volta das 18h30, apenas 32 pessoas estavam na parte interna aguardando o embarque nos veículos.

Pela manhã e durante a tarde, fora dos horários considerados de pico, o movimento foi ainda menor. A reportagem verificou veículos rodando com três passageiros, outros até vazios. Segundo a Companhia Metropolitana do Transporte Coletivo (CMTC), o setor está operando com 100% da frota, atendendo a planilha normal de dias úteis depois de liminar concedida pela justiça ao governo de Goiás depois que o sistema passou a rodar com redução na oferta do serviço.

A justificativa para redução no número de veículos foi a suspensão de atividades, como aulas escolares e fechamento do comércio. O POPULAR mostrou nesta terça-feira que o sistema rodou com a planilha de férias entre os dias 16 a 18 e nos dias 19, 20 e 23, com a planilha de sábado. Desde esta terça-feira a oferta do serviço está normal e não haverá a suspensão total do serviço a partir desta quarta-feira (25), como chegou a ser divulgado. No final de semana, em reunião, os motoristas entenderam ser prudente suspender o serviço por conta do risco de contágio da doença.

Motoristas chegaram a reclamar da continuidade do serviço por conta da falta de segurança e aglomeração que o transporte ocasiona, mas em decreto do dia 20, foi incluído que os veículos só poderão rodar com o limite da capacidade de pessoas sentadas. A Polícia Militar e a Guarda Civil Metropolitana estão nos terminais para auxiliar os motoristas em caso de passageiros que insistam em contrariar a regra, mas até agora não foi necessário uso da força. Há a orientação de que apenas trabalhadores ou consumidores de atividades essenciais, conforme descrição do decreto estadual, utilizem o transporte coletivo.