Sabe quando você torce para uma moda pegar e, de repende, percebe que ela está emplacando? Essa á sensação diante da implantação do terceiro parklet de Goiânia. A cidade receberá nesta terça-feira (10/08) um novo espaço de convivência que ocupa vagas de estacionamento. É como uma minipraça, uma extensão da calçada pensada para democratizar o espaço público. A estrutura temporária está montada na Alameda Ricardo Paranhos, no Setor Marista. 

O ponto é estratégico, pois a Alameda Ricardo Paranhos possui uma charmosa pista, dividida diariamente entre adeptos de corridas e ciclistas. Montado em frente a EBM Desenvolvimento Imobiliário, o  parklet será gerido pela própria empresa por um ano, com possibilidade de renovar a permissão por mais dois anos.

Projetado pelo arquiteto Vinicius Aires, a estrutura móvel ganhou bancos e mesas de madeira com guarda sol, floreiras e bicicletário. Aires diz ter tomado como referência os parklets de São Francisco, nos Estados Unidos. A cidade é precursora do movimento que chama a atenção da preferência dado aos carros nos grandes centros urbanos.

Em Goiânia, um decreto assinado pelo prefeito Paulo Garcia, no último dia 30 de março. A prefeitura autoriza, por até três anos, o uso temporário de vias como extensão de áreas públicas voltadas à convivência.

O primeiro parklet da capital foi inaugurado no final de abril, junto com a Casa Cor Goiás, na Rua Mario Bittar, no Setor Marista. A área de convivência foi removida assim que a mostra terminou.

A proposta inovadora foi apresentada pelo Sobreurbana, mesmo estúdio que implantou o projeto na Praça Adélia Martins, na Rua 137, mostrado no nosso post anterior. Goiânia conta ainda com um parklet na Avenida 136, em frente ao edifício Executive Tower.

Mas todas essas estruturas tiveram como palco o Setor Marista. O blog apoia a ideia, mas segue na torcida para que a democratização do espaço pública ocorra também em bairros menos favorecidos da Grande Goiânia.