O Tribunal de Contas do Estado determinou a restituição de R$ 8,6 milhões ao erário por conta de irregularidades que sua fiscalização teria encontrado na reforma do aeroporto de Anápolis. Também determinou que a Segplan tome as providências necessárias para corrigir as irregularidades, como ausência da equipe técnica de fiscalização, erosão, danos ambientais e execução de serviços de terraplenagem em período chuvoso, substituição de equipamentos e diferenças nas planilhas de medições. A obra é tocada pela empresa Loctec Engenharia. A Segplan terá de providenciar que sua fiscalização ateste diariamente a quantidade de materiais escavados e os locais onde foram depositados e notificar a Agetop para que permaneça constantemente na frente de serviços. A Secretaria do Meio Ambiente terá de acompanhar a obra, já que no local existem áreas de preservação permanente (dois córregos), evitando a ocorrência de danos ambientais, segundo informa o TCE.