O futebol goiano perdeu um de seus ídolos em 2014. O atacante Fernandão, ídolo do Goiás e do Internacional, morreu, em 7 de junho, aos 36 anos, após sofrer acidente de helicóptero em Aruanã. Pai de três filhos - Tainá, Enzo e Eloá - e marido de Fernanda da Costa, Fernandão nasceu em Goiânia e foi revelado pelo alviverde goiano.

O ex-jogador estava na aeronave ao lado de outras quatro pessoas - Edmilson de Souza Leme (vereador de Palmeiras de Goiás), Antônio de Pádua, Lindomar Mendes Vieira (funcionário da fazenda de Fernandão) e o piloto, Milton Ananias. O helicóptero caiu segundos após decolar em um banco de areia. Fernandão foi socorrido por um barco e levado ao hospital, mas não resistiu.

O corpo do jogador foi velado no ginásio da Serrinha e sepultado no cemitério Jardim das Palmeiras, na capital goiana. Torcedores e ex-companheiros prestaram homenagens, que persistiram até o fim do ano, quando o Internacional inaugurou o Memorial Fernandão Eterno, no Estádio Beira-Rio.

No Goiás, Fernandão foi pentacampeão goiano (1996, 1997, 1998, 1999 e 2000), campeão da Série B do Brasileiro (1999) e bicampeão da Copa Centro-Oeste (2000 e 2001). O ex-atacante deixou o clube em 2001 e foi transferido para o futebol francês - jogou pelo Olympique de Marselha e pelo Toulouse.

Em 2004, voltou ao Brasil, para o Inter. No clube, conquistou os maiores títulos de sua carreira e da história colorada. Foi campeão da Libertadores e do Mundial de Clubes, em 2006, e da Recopa Sul-Americana, em 2007. Também chegou aos títulos do Campeonato Gaúcho em 2005 e 2008.

Fernandão voltou ao alviverde em 2009, depois de passagem pelo Al-Gharafa, do Catar, e não foi bem por causa de clima interno conturbado e condição física ruim. Em 2010, deixou o clube e foi para o São Paulo, onde se aposentou como jogador em julho de 2011.

Após o aposentadoria, foi diretor de futebol e técnico do Inter. Antes de morrer, havia iniciado a carreira de comentarista esportivo no canal fechado SporTV.